A ÚLTIMA DANÇA
A ÚLTIMA DANÇA






 
Seu perfume mudou, está mais cítrico.
Reflexo involuntário (ou não) do tempo.
Sua beleza ao dançar ainda me fascina,
Me faz deslizar e sonhar...
Traz a tona tantas noites
Com você feliz em meus braços,
Em ritmos diferentes
Todos executados com a mesma performance.
O ar é quase paupável, denso.
A música abafa as batidas do meu coração,
Os passos parecem ensaiados
Tudo parece tão perfeito.
Onde nós nos perdemos?
Em que ponto saímos do tom?
Ou mesmo erramos a coreografia?
Onde? Como? Porque?
Perguntas se desfazem como nuvens
Respostas que se calam
A música está acabando
Você vai embora
O sorriso que era de "até logo"
Agora é de adeus.
As despedidas são silenciosas
Mas isso não as torna menos dolorosas
As mãos que se afastam,
Não querendo se afastar
Dizem mil coisas num suave toque
As lágrimas se fundem com a chuva
O vento parece gritar às árvores.
A orquestra para.
Você vai sem olhar para trás
Leva com você meu coração
Minha vida, minha alma.
Sempre haverá outras danças
Mas sem você, minha partner,
Será apenas um "sacudir" de corpos
Você leva a música, fica o som vazio...
Gritos de silêncio que insistem em ecoar
Sem fim.
A noite acabou e eu quero fugir
Mas não tenho para onde
É impossível se esconder de si mesmo...

Leonardo de Andrade
 

 

 
 
RESPEITE OS DIREITOS AUTORAIS !
Não é permitida, sem prévia autorização,
a reprodução desta página.

Obrigada !
WebDesign : Angela Cecilia