DESEJO
DESEJO
DESEJO

Aquele beijo me torturou e ainda o faz;
perdi a paz.
Agora sei o que sinto quando te vejo;
é desejo.
Meus sonhos, não posso torná-los públicos;
são lúbricos.
Revelei-te o que me vai no coração;
louca paixão.
Impossível ser apenas teu amigo;
não consigo.
Como viver em idílio o tigre e sua presa?
contraria a Natureza.
Loucos são os caminhos que o destino traça;
és minha caça.
Teu suor quero beber em minha taça;
és minha desgraça.
Nossos olhares fazem um silente jogo;
sentes meu fogo.
Teus olhos são contas que reluzem
e me seduzem.
Teu cheiro é um tesouro que o céu gerou
e me embriagou.
Lembro o toque da tua mão,
mas é em vão.
Minha loucura por ti não foi domada;
está sufocada.
É paixão sem ter para onde ir;
vai explodir.
Espero o momento de sonho em que vais dizer:
Dá-me prazer!”
E ao morrer, só terei uma mágoa antes de ir:
não te possuir.


Salvador Laviano Neto

Imagem de :www.webshots.com


DESEJO

 

 
 
RESPEITE OS DIREITOS AUTORAIS!
Não é permitida, sem prévia autorização,
a reprodução desta página.
Obrigada!
WebDesign : Angela Cecilia