DESPREZO
Desprezo

DESPREZO
Não permita que este amor toque no chão.
Segure-o com firmeza em tuas mãos.
Cante para ele uma canção de ninar
Acalente-o com ternura junto ao peito,
Não percebes que ele está sem jeito
Querendo em teu coração se aninhar?
Faça com que este amor se renove
Não permita que a vida o reprove
Mandando-o de volta aos aflitos
Faça-lhe um pequeno aceno de mão
E ele virá rastejante pelo chão
Em busca de paz, de carinho sem conflitos.
Este amor que hoje se consome
Já teve glória, nobreza e até nome
Vivendo pelos salões em altas cortesias
Depois que por ti foi desprezado
Pelos becos da vida foi atirado
Ignorando quando é noite e quando é dia.
Venha buscá-lo enquanto há vida
Leve-o contigo e lhe dê guarida
Não deixe morrer sem o perdão
Ele só necessita de um pouco de afeto
Viver no anonimato o mais discreto
Bem dentro do teu coração.

Antonio Abílio Gava
DESPREZO

 

 
 
RESPEITE OS DIREITOS AUTORAIS!
Não é permitida, sem prévia autorização,
a reprodução desta página.
Obrigada!
WebDesign : Angela Cecilia