SAUDADES
 
SAUDADES
 
Areias ao vento, que flutuam
Resvalando nas pedras,
Moldando lembranças,
Desenhando novos caminhos em meus pensamentos...
Que se tornam lamentos,
Que se transformam em saudade,
Presença impresente, sua...
Música nossa no ar.
Na tentativa de preencher lacunas.
Olhos atingidos,
Embaçados e irritados,
Disfarçando lágrimas,
Firmam para lhe ver.
Encontra o pensamento.
Transporta imagens,
Redesenha desejos,
Desdobra intenções e querer.
Apenas eu, saudade e você,
Aqui, presente,
Como o vento que agora bate forte em meu rosto
Traduzindo o meu idioma,
Suas palavras,
Músculos involuntário, pulsante coração,
Em que reside,
Aporta e permanece.
Jane Lagares
 
 

 

 
 
RESPEITE OS DIREITOS AUTORAIS!
Não é permitida, sem prévia autorização,
a reprodução desta página.

Obrigada!
WebDesign : Angela Cecilia