A LÍNGUA DO NHEM

Havia uma velhinha
Que vivia aborrecida.
Pois dava sua vida,
Para falar com alguém.
A LÍNGUA DO NHEM
Estava sempre em casa
A boa velhinha
Resmungando sozinha.

Nhem, nhem, nhem,

Nhem, nhem, nhem.

A LÍNGUA DO NHEM O gato que dormia
No canto da cozinha
Escutando a velhinha
Principiou também
A miar nessa língua
E se ela resmungava,
O gatinho a acompanhava.

Nhem, nhem, nhem,

Nhem, nhem, nhem.

Depois veio o cachorro
Da casa da vizinha,
Pato, cabra e galinha.
De cá, de lá, de além.

A LÍNGUA DO NHEM       A LÍNGUA DO NHEM
A LÍNGUA DO NHEM       A LÍNGUA DO NHEM
 
E todos aprenderam
A falar noite e dia
Naquela melodia.
Nhem, nhem, nhem,

Nhem, nhem, nhem.

A LÍNGUA DO NHEM
De modo que a velhinha
Que muito padecia
Por não ter companhia
Nem falar com ninguém.

Ficou toda contente,
Pois mal a boca abria,
Tudo lhe respondia.

A LÍNGUA DO NHEM
Nhem, nhem, nhem,

Nhem, nhem, nhem.


Cecilia Meireles

 

 
 
RESPEITE OS DIREITOS AUTORAIS !
Não é permitida, sem prévia autorização,
a reprodução desta página.

Obrigada !
WebDesign : Angela Cecilia