CANTIGA DO VENTO
   
CANTIGA DO VENTO O vento vem vindo
De longe
De não sei onde
Vem valsando,
Vem brincando,
Sem vontade de brincar.
   
Vem vindo devagar,
Devagarinho,
Mais viração
Que vem em vão,
E vai e volta
E volta e vai.
CANTIGA DO VENTO
   
CANTIGA DO VENTO De repente,
O vento vira rock
E vira invencível serpente,
E voa violento,
E vai velhaco,
Vozeirão, verduras
E violetas.

E vira violinista,
Vibra na vidraça,
Vira copo e vira taça,
- Uma zorra!

   
O vento
Mesmo veloz,
Tem tempo de brincadeira,
Tem tempo de causar vexame,
E enche a casa de sujeira
E ergue vestido de madame.
CANTIGA DO VENTO
Elias José
 

 

 
 

RESPEITE OS DIREITOS AUTORAIS!
Não é permitida, sem prévia autorização,
a reprodução desta página.
Obrigada!

WebDesign : Angela Cecilia