CAVALINHO DA ALVORADA
 
CAVALINHO DA ALVORADA
 
Meu cavalinho
Só sai na alvorada
Em outro horário
Bate a pata, empaca
Vira estátua de luar
Nem com reza braba
Sua teimosia acaba.
Com meu cavalinho
Vou pelas estradas
À procura de sementes.
Escolho as sementes aladas
Pois nascem mais depressa
E tenho pressa
De replantar o planeta.

Eloí E. Bocheco
CAVALINHO DA ALVORADA

 

 
 
RESPEITE OS DIREITOS AUTORAIS !
Não é permitida, sem prévia
autorização, a reprodução desta página.

Obrigada!

WebDesign : Angela Cecilia