NADA DIGAS
 
NADA DIGAS
 
 
Nada digas,
Nem sequer
Por qualquer
Gesto sutil das tuas mãos amigas!
 
Fica toda
Junto de mim,
Quieta assim,
Desejando uma coisa linda, doida.
 
Um desejo...
E, depois,
Entre os dois,
O silêncio vermelho do teu beijo.

Guilherme de Almeida
 

 

 
Voltar à Pagina Principal
 
RESPEITE OS DIREITOS AUTORAIS!
Não é permitida, sem prévia autorização,
a reprodução desta página.

Obrigada!

WebDesign : Angela Cecilia