CHUVAS DE VERÃO
 
CHUVAS DE VERÃO
 
Tinha um sol brilhante.
Tinha a praia infinitamente bela
Tinha um céu de aquarela
Tinha areia tão fria quanto a que escorrega na ampulheta
Tinha a água do mar tão cristalina
Quanto a que acabe com a seca
Ora azul transparente
Ora verde reluzente.
Tinha brisa de verão
Tinha mais de uma estação
Tinha uma chuva fina
Curta, passageira
Amiga minha.
E quando ela vinha
Molhava meus cabelos.
Encharcava meu corpo por inteiro.
Junto com o vento que trazia
Arrepiava meus pêlos
E eu, menina, mulher
Feliz como um qualquer
Rodeada de tanta gente
Tão inocente
Imaginava você do meu lado
Seu corpo no meu colado
Seu sorriso me dando um abraço
Seus olhos enfeitoçados
Por mim guiados.
E enquanto a chuva caia
Enquanto sobre o meu rosto escorria
Com minhas lágrimas se misturavam.
Tinha noite estrelada
Tinha música e eu dançava.
Tinha orvalho
Espalhado na calçada
Tinha lembrança de um passado.
Tinham flores
Pequeninas e escondidas
Grandes e aflitas.
Algumas quando eu passava me gritava
Outras me evitavam
Sofridas num canto choravam.
Tinham drinks coloridos
Nelas, sonhos enrustidos.
Tinha mergulho na sedução
Tinha luz na escuridão
Trevas na minha emoção.
Tinha dentro do meu coração
Muitos fragmentos do seu
Que há muito do seu se perdeu.

Silvana Duboc
CHUVAS DE VERÃO

 

 
 
RESPEITE OS DIREITOS AUTORAIS !
Não é permitida, sem prévia autorização,
a reprodução desta página.

Obrigada !
WebDesign : Angela Cecilia