O QUE SOBROU
 
O QUE SOBROU
As badaladas de um relógio antigo,
Enquanto lentas vão as madrugadas,
Dão-me o sabor de horas já passadas
Junto ao teu corpo, em teu abraço amigo...
O QUE SOBROU
As minhas noites hoje estão caladas
E só os ponteiros do relógio eu sigo,
Já não sonhando mais estar contigo
Quando nascerem novas alvoradas...
O QUE SOBROU
Transcorrem meses, dias solitários...
Releio cartas, busco nos armários
Cada lembrança que nos restou...
O QUE SOBROU
Então eu choro... choro de saudade,
Sem querer ver o quanto a realidade
Mostra no espelho o que de mim sobrou.


Silvia Schmidt

Imagens de: http://victorian.fortunecity.comeliot/177/sets/sets


O QUE SOBROU

 

 
 
RESPEITE OS DIREITOS AUTORAIS !
Não é permitida, sem prévia autorização,
a reprodução desta página.

Obrigada !
WebDesign : Angela Cecilia