POEMA XXXV
 
POEMA XXXV
 
POEMA XXXV
 
Não chores mais o erro cometido,
Na fonte, há lama;
A rosa tem espinho;
O sol no eclipse é sol obscurecido;
Na flor também o verme faz seu ninho.
Erram todos,
Eu mesmo errei já tanto.
Que te sobram razões de compensar
Com essas faltas minhas,
Tudo quanto não terás tu somente a resgatar;
Os sentidos traíram-te,
E meu senso de parte adversa
É mais teu defensor.
Se contra mim te escuso,
E me convenço
Na batalha do ódio com o amor
Vítima e cúmplice do criminoso
Dou-te ao ladrão amado e amoroso.


W.Sheakespeare

Gráficos de : http://creationsbydawn.net/graphic/graphic

 
POEMA XXXV

 

 
 
RESPEITE OS DIREITOS AUTORAIS !
Não é permitida, sem prévia autorização,
a reprodução desta página.

Obrigada !
WebDesign : Angela Cecilia