SONETO LIII
 
SONETO LIII
 
De que substância foste modelado,
Se com mil vultos o teu vulto medes?
Tantas sombras difundes, enfaixado
Num ser que as prende, e a todas sobre excedes.

SONETO LIII

Adônis mesmo segue o teu modelo
Em vã, esmaecida imitação;
A face helênica onde pousa o belo
Ganhou em ti maior coloração.

SONETO LIII

A primavera é cópia desta forma,
A plenitude és tu, em que consiste
O ver que toda graça se transforma

SONETO LIII

No teu reflexo em tudo quanto existe.
Qualquer beleza externa te revela
Que a alma fiel em ti acha mais bela.


W. Sheakespeare

Gráficos de : http://www.geocities.com/Heartland/2338/

 
SONETO LIII

 

 
 
RESPEITE OS DIREITOS AUTORAIS !
Não é permitida, sem prévia autorização,
a reprodução desta página.

Obrigada !
WebDesign : Angela Cecilia